Reprodução Humana



Os orgãos dos sitemas reprodutores masculino e feminino, pela sua constituição e funcionamento, asseguram a produção de gametas, permitem a ocorrencia de fecundação e o desenvolvimento de novos seres, ao longo de sucessivas gerações.


external image 09186288c1304017b39dad18b0620edf
Nas gónadas, quer masculinas ( testiculos) quer femininas ( ovarios ), ocorre um processo chamado gametogénese que permite a formação de gametas.
Os gametas são células especializadas, formadas através de meiose, que contêm metade da informação genética do progenitor. Quando ocorre o acto sexual o homem ejacula na vagina da mulher milhões de espermatozóides que tem como objectivo fecundar um oocito II.
Após a fecundação o ovo vai ajolar-se no útero onde se vai desenvolver, idealmente, ao longo de 40 semanas até estar pronto a enfrentar as adversidades do exterior.


Gónadas

external image female.jpg


Os ovários são os gónadas femininos que se encontram na zona pélvica ,
é nos ovários que ocorre a oógenese, meiose, responsável pela formação dos gametas, e tambem a produção de hormonas como estrogénio e progesterona.
As trompas de falópio são o orgão que faz a ligação entre os ovários e o útero e o local onde normalmente ocorre a fecundação.
O útero é o orgão que desempenha a função, durante a gravidez, de armazenar e proporcionar ao feto tudo o que necessita.
A vagina é o orgão que estabelece a ligação entre o exterior e o útero e ainda é o orgão receptor dos espermatozóides.


external image malereprosystem_tcm25-559.jpg
Os gónadas masculinos são os testiculos, que são o local onde ocorre a espermatogénese, fenomeno fundamental para a formação de espermatozóides e a produção de testosterona.
O escroto é a bolsa de pele que envolve e protege os testiculos.
Os epidídimos são conjuntos de canais onde os espermatozóides são armazenados e amadurecidos.
Os Canais deferentes permitem o armazenamento e transporte dos espermatozóides para a uretra.
As vesículas seminais são glândulas que segregam substâncias fundamentais para a sobrevivência e locomoção dos espermatozóides, a próstata para além de também ter esta função é importante também para separar a urina do esperma.
O pénis é o órgão de Copulação estimulado sexualmente vai ser erecto por uma pressão sanguínea fora do normal. É através deste órgão que os espermatozóides são introduzidos no interior da vagina.


Gametogénese

É nos testículos e nos ovários que ocorre a gametogénese.
No caso dos testículos chama-se espermatogénese e no caso dos ovários chama-se oogénese.

A espermatogénese ocorre em quatro fases:


external image Espermatogenese.gif

Na fase de maturação ou germinativa as espermatogónias vão dividir-se por mitoses, onde em cada duas formadas uma volta a dividir-se o que resulta na constante presença de espermatozóides ao longo da vida do homem.
Na fase de crescimento ocorre um aumento de volume passando a chamar-se espermatócitos.
Na fase de maturação os espermatócitos I sofrem uma divisão meiótica. Na primeira fase formam-se espermatócitos II na segunda fase formam-se espermatídios.
Na fase de diferenciação formam-se os espermatozóides, sem grande parte do citoplasma que foi eliminado por células de Sertoli, o complexo de Golgi forma uma grande vesícula, acrossoma, que contem enzimas digestivas e ainda se forma o flagelo a partir de centríolos.

A oogénese ocorre da seguinte forma:
external image Ovogenese.gif

N
a fase de multiplicação as células germinativas sofrem múltiplas mitoses sucessivas originando oógonias.
Na fase de crescimento as oógonias que não degeneram vão aumentar o seu volume originando os oócitos I.
Na fase de maturação nos ovários da recém-nascida, os oócitos I iniciam a meiose parando em profase I.
A meiose continua na puberdade onde restam 400000 oócitos I. Começam assim os ciclos ováricos em que durante a vida fértil, a mulher, completa a divisão I da meiose de um oócito I de cada vez. A divisão que ocorre é desigual em termos de volume e constituintes. Uma das células é o oócito II que tem maiores dimensões e constituintes. A outra célula é o primeiro glóbulo polar.
A segunda divisão fica bloqueada em metafase II. Ocorre a ovulação, libertação de um oócito II.
A sua evolução vai ser concluída nas trompas de Falópio onde como veremos se dá normalmente a fecundação.
Após a ovulação as transformações no ovário continuam com o corpo lúteo ou amarelo que desaparece no fim do ciclo